Reunião sobre dengue gera comissão paritária e levanta pontos para análise

ACIM participou do debate. Foram sugeridas ações e levantamento de possíveis focos.

A reunião idealizada pela prefeitura de Imbituba, na manhã desta quarta, dia 17, no gabinete da prefeitura, trouxe a participação de diversas entidades, vereadores e secretários na questão da combate ao mosquito Aedes Aegypti. E além da criação de uma comissão paritária para acompanhamento e definição de estratégias, algumas sugestões e pontos também foram levantados.

O prefeito em exercício Elísio Sgrott salientou pela criação de uma comissão de forma paritária, com membros do poder público (Executivo e Legislativo) e entidades civis organizadas como Associação Empresarial (Acim), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Porto entre outros. “Essa comissão terá por objetivo avaliar e buscar medidas, até mesmo emergenciais se for o caso, para conter o mosquito”, afirma Sgrott.

Durante a reunião também foi levantado o trabalho feito para conter a entrada do mosquito na cidade. “Nós já realizamos um trabalho periódico, principalmente em áreas conhecidas de maior risco e o que é encontrado e eliminado, é devido ao que já vem sendo feito”, explica Maria Martins, Secretária Municipal de Saúde.

Durante a reunião também foi questionada grandes áreas abandonadas, como a da extinta ICC. O diretor da Vigilância em Saúde, Everaldo de Paula, salientou que no início deste mês, o espaço passou pelo segundo pente fino neste ano. “Estivemos na área no começo de janeiro e chegamos a notificar uma empresa para que tome as medidas necessárias para evitar água parada, e fizemos novamente um pente fino no início deste mês, e nenhuma larva do mosquito encontramos”, conta.

O diretor explica que ele e sua equipe estão abertos as sugestões e atendendo as denúncias de acordo com o cronograma. “Estamos sempre abertos a sugestões e procurando atender toda a cidade. Somos o município da região com o maior número de armadilhas (193), limpando e coletando elas semanalmente e ainda queremos ampliar para 300 armadilhas”, acrescenta. “Nossa grande preocupação é que temos características semelhantes ao município de Itajaí, com uma rodovia federal cortando a cidade e um porto, e 90% dos casos no ano passado foi nesta cidade, e aqui isso não acontecerá somente se todos participarem”, salienta.

O coordenador do programa de combate a dengue em Imbituba, Rafael Mello, sugeriu também a criação de um EcoPonto, principalmente para o descarte de pneus. “Muitos também querem participar, dar uma destinação correta e não sabem o que fazer. Criar um local específico para este material, que se acumula em casas ou é jogado em rios e terrenos, seria de grande importância”, frisa.

Todas as sugestões serão encaminhadas para a comissão para que seja montado um cronograma de ações.

Destaques
Arquivo
Tags de Notícias