Case de sucesso de produtor rural de Imaruí é selecionado a nível nacional

Produção de mandioca e farinha cresceu graças ao programa Negócio Certo Rural, do Sebrae e Senar

Iniciado em Santa Catarina pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), hoje, o curso Negócio Certo Rural ocorre em todo o Brasil, também conta com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e já ajudou diversos produtores rurais na administração de seus negócios. Um destes produtores é o seu Dourival Ido, de Imaruí, cuja experiência com o programa virou um case de sucesso e estará presente no material de divulgação institucional do Negócio Certo Rural.

Nesta terça-feira, dia 21, a partir das 8 horas, equipes do Senar e do Sebrae estarão na propriedade de seu Dourival, na localidade de Samambaia, para iniciar as gravações que mostrarão a sua produção de mandioca, farinha de mandioca e explicarão porque ele passou a ter mais visão de negócio e obter melhores lucros após a participação no curso.

A analista técnica do Sebrae/SC, Maristela Borges Gomes, destaca que a instituição apresentou alguns cases de sucesso do estado e que o Senar escolheu apenas o do seu Dourival – de um pequeno município do Litoral Sul para representar toda Santa Catarina. “Isso representa muito para o Sebrae, a região e o estado. Santa Catarina foi contemplada a nível nacional, pois o Senar está montando o material institucional com cases de sucesso de todas as regiões do país que executam o Negócio Certo Rural”, afirma Maristela.

Participação em família

Seu Dourival participou do programa com o filho e outros produtores locais, em 2014. De acordo com o consultor do Sebrae/SC, Daniel Bittencourt, foram identificados alguns problemas na produção de mandioca e no engenho de farinha, a maioria relacionados ao pouco conhecimento na área de gestão.

“Por exemplo: a mandioca usada para gerar farinha no engenho vinha da plantação dele, mas isso não estava incluso nos custos gerais da produção. É um dos erros mais básicos dos pequenos produtores. Eles usam insumos próprios, achando que estão barateando a produção, mas esquecem que também estão gerando custos para eles mesmos”, lembra Bittencourt.

Este foi apenas um dos problemas corrigidos na propriedade de seu Dourival através das aulas e consultorias do Negócio Certo Rural. Ele entendeu o funcionamento dos dois negócios distintos que possui e passou a administrá-los melhor, aumentando a produção e os lucros, conforme acompanhou e apresentou o Sebrae. “O objetivo do curso é fazer com que o pequeno produtor rural pense como um empresário rural, que ele veja a sua propriedade como um negócio”, conclui Bittencourt.

Sobre o Negócio Certo Rural

O programa Negócio Certo Rural é dividido em cinco módulos que ocorrem em sala de aula. Uma consultoria individual e outra na propriedade de cada participante também estão inclusas no pacote, sendo que cada propriedade pode ter até duas pessoas inscritas. Elas ainda recebem apostilas, mochila, camiseta, boné, calculadora, bloco de anotações, caneta, lápis, borracha e um pen drive com as planilhas apresentadas no curso. Ao fim dele, um certificado também é entregue.

O Negócio Certo Rural é voltado para produtores rurais acima dos 16 anos e que tenham cursado, no mínimo, até o 5º ano do Ensino Fundamental (antiga 4ª série). Cada turma poderá ter até 15 propriedades (30 participantes). Os encontros acontecerão com intervalo de uma semana, logo, a duração é de aproximadamente dois meses.

Mais informações sobre inscrições, datas e valores podem ser obtidas através da agência do Sebrae em Criciúma (48-3403.2200) ou Tubarão (48-3626.4580).

Nazario & Bortot Comunicação

Assessoria de Imprensa Sebrae CR Sul

Texto: Vanessa Amando | Partner NBCom

Imagens: Ilustração/Internet

Destaques
Arquivo
Tags de Notícias