SCPar Porto de Imbituba realiza 3ª SIPAT


Entre 6 e 10 de agosto, a SCPar Porto de Imbituba promoveu a 3ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT). O evento levou diversas atividades de informação e integração aos colaboradores, encerrando com a palestra show ministrada por Rafael Henzel, jornalista que sobreviveu ao acidente aéreo do Voo LaMia 2933. A 3ª SIPAT foi realizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, em parceria com o Setor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Autoridade Portuária.

Para abrir a semana, o grupo Dança Comigo trouxe apresentações e uma sessão de biodanza, atividade que busca a integração humana por meio do movimento e da música. Já o workshop “Na cozinha com a família Reis Pereira” ensinou um pouco da culinária mineira, com receitas e dicas de como preparar pães e o típico café de Minas Gerais.

A programação ao longo dos cinco dias também contou com palestras sobre Depressão e Ansiedade, Economia Financeira, Meditação, Doenças Sexualmente Transmissíveis e Exercícios de Ioga. Na quinta-feira (9), a “Mostra de Talentos” motivou os colaboradores a compartilharem com os colegas suas habilidades além do trabalho. O desafio resultou em apresentações de música, arte e dança. Além disso, o “Show da SIPAT”, inspirado no conhecido jogo “Show do Milhão”, testou o conhecimento dos participantes acerca dos mais diversos temas.

Para encerrar em grande estilo a 3ª SIPAT do Porto de Imbituba, a palestra show de Rafael Henzel inspirou e emocionou a plateia de aproximadamente 110 participantes. Henzel relatou seu recomeço após sobreviver à queda do voo LaMia 2933, acidente aéreo que matou 71 pessoas em 2016. Entre elas, os jogadores do time de futebol Chapecoense, sua equipe técnica, diretoria, jornalistas e convidados.

Ao longo da apresentação, foram ressaltados temas como motivação, empatia e segurança. O convidado especial instigou os colaboradores e convidados a pensar no hoje e valorizar a vida. “A vida nos empurra pra trás, mas a gente pode empurrá-la pra frente. Não deixe que um amigo ou um familiar seu dê um passo pra trás sem você segurá-lo pela mão. Nós precisamos sentir o coração do outro, com dignidade, com ética, com sorriso no rosto. Eu me sinto muito feliz por ter passado por isso e hoje estar aqui conversando com vocês, por demonstrar que é possível quando se acredita e quando se quer... Sozinho ou com a ajuda de alguém, em casa ou no trabalho”, salientou o jornalista.