Trinta profissões devem surgir nos próximos dez anos no Brasil

Novas tecnologias melhoram produtividade, bem-estar das pessoas e riqueza da nação, diz diretor geral do SENAI Nacional

Os avanços da tecnologia e novas visões de mundo trazem desafios e profundas mudanças no mundo do trabalho. Estudo do SENAI revela o surgimento de 30 ocupações em oito áreas predominantes do setor industrial brasileiro, nos próximos dez anos. “Os processos industriais modernizam os aspectos culturais na sociedade; as novas tecnologias melhoram a produtividade do trabalho, o bem-estar das pessoas e a riqueza das nações”, disse Rafael Lucchesi, diretor geral do SENAI Nacional, em entrevista nesta quinta (5), primeiro dia da Olimpíada do Conhecimento, que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) está promovendo na Capital Federal.

As profissões que terão mais destaque atendem demandas de cada setor (confira abaixo). Conforme exemplo utilizado por Lucchesi, apenas 25% do combustível consumido por um veículo se transforma em energia e apenas 2% se torna energia para movimentar o veículo. Desta forma, o setor buscará mais eficiência e desenvolverá veículos híbridos. Assim, uma das novas profissões do setor automotivo é a de mecânico de veículos híbridos. Da mesma forma, devem ganhar espaço o técnico em impressão de alimentos (no setor de alimentos e bebidas), projetistas para tecnologias 3D (em máquinas e equipamentos), técnico de construção seca (construção civil), analista de internet das coisas (TIC), entre outras ocupações.

“A inteligência artificial, o big data, enfim, o conjunto das novas tecnologias que caracterizam a internet das coisas vai assegurar um ganho efetivo de bem-estar e de qualidade de vida. Vamos ter cidades inteligentes, com melhor mobilidade, melhor fluxo de informação, casas inteligentes que vão estabelecer o conforto da vida urbana, novas formas de produção e distribuição de energia, novas formas de produção, fábricas da indústria 4.0, tudo isso com uma pegada ecológica melhor e também com uma especialização e uma segmentação muito maior dos mercados”, afirma Lucchesi.

O diretor regional do SENAI/SC, Jefferson de Oliveira Gomes, explica que situações reais que os profissionais do futuro devem enfrentar estão expostos na Olimpíada do Conhecimento. Citou o exemplo do drone que foi projetado por estudantes do SENAI em Luzerna, que congrega um conjunto de atividades em toda sua vida útil, a começar pela parte mecânica e o desafio de redução de peso na construção da máquina e toda a parte eletrônica e programação para seu funcionamento. Além disso, há um conjunto de ocupações que cria funções e aplicações para o equipamento. É projetado inicialmente para entregas em áreas urbanas, o que pode envolver especialistas em logística e especialistas no desenvolvimento de aplicativos para que o drone possa integrar projetos de internet das coisas.

Lucchesi ressaltou a importância de ocupações transversais, citando o caso de especialistas em automação ou em eletromecânica, que podem atuar na indústria ou em prédios inteligentes, shoppings centers, entre outras atividades. Ressaltou ainda a relevância das competências socioemocionais. “Capacidades como a de trabalhar em equipe, de ouvir, liderar, dialogar, entre outras que representam um conjunto de novas competências, têm papel determinante na forma como as pessoas serão selecionadas e se manterão no mundo trabalho”, destacou. Para Lucchesi, “se difundirmos mais a discussão no País sobre essas novas tecnologias que transformarão o futuro da produção, o futuro dos negócios e o futuro da vida humana, certamente o Brasil vai ter um papel mais protagonista vai gerar mais riqueza, vai ter um impacto maior no mercado de trabalho de forma mais positiva”.

Ele destacou ainda a excelência das escolas de educação básica do SESI e de educação profissional do SENAI para o apoio ao desenvolvimento e competitividade da indústria nacional. “Podemos garantir que o SENAI e o SESI estão prontos, com domínio profundo das novas competências; nós fazemos uma análise do observatório das mudanças nos próximos cinco ou dez anos e temos as competências necessárias para apoiar a indústria brasileira na necessidade no importante esforço de assegurar a participação do brasil nos mercados internacionais”.

NOVAS PROFISSÕES EM OITO ÁREAS

AUTOMOTIVO • Mecânico de veículos híbridos • Mecânico especialista em telemetria • Programador de unidades de controles eletrônicos • Técnico em informática veicular

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO • Analista de IoT (internet das coisas) • Engenheiro de cibersegurança • Analista de segurança e defesa digital • Especialista em big data • Engenheiro de softwares

ALIMENTOS E BEBIDAS • Técnico em impressão de alimentos • Especialista em aplicações de TIC para rastreabilidade de alimentos • Especialista em aplicações de embalagens para alimentos

MÁQUINAS E FERRAMENTAS • Projetista para tecnologias 3D • Operador de High Speed Machine • Programador de ferramentas CAD/CAM/CAE/CAI • Técnico de manutenção em automação

CONSTRUÇÃO CIVIL • Integrador de sistema de automação predial • Técnico de construção seca • Técnico em automação predial • Gestor de logística de canteiro de obras • Instalador de sistema de automação predial

QUÍMICA E PETROQUÍMICA • Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas • Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos • Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos

TÊXTIL E VESTUÁRIO • Técnico de projetos de produtos de moda • Engenheiro em fibras têxteis • Designer de tecidos avançados

PETRÓLEO E GÁS • Especialista em técnicas de perfuração • Especialistas em sismologias e geofísica de poços • Especialistas para recuperação avançada de petróleo