União entre empresa e associação proporciona novas oportunidades

“O ideal não é dar o peixe, mas sim ensinar a pescar. Ajudar na rede”. Edite, fundadora da Associação Raio de Luz

Proporcionar novas oportunidades é o objetivo da Associação Raio de Luz, que há 30 anos vêm mudando a vida de 60 famílias do bairro Araçá em Imbituba. O ditado, “A união faz a força”, se aplica perfeitamente a entidade que conta com a ajuda de empresários e comunidade para dar continuidade a seus inúmeros cursos profissionalizantes. Os mesmos já proporcionaram qualificação, ingresso no mercado de trabalho e melhores condições de vida a centenas de mulheres.

Reconhecendo a importância do trabalho realizado pela Associação, o Posto Simon criou um projeto inovador na região que além de oportunizar uma renda extra aos participantes das oficinas de costura, também contribui para a preservação do meio ambiente. “Nós separamos todos os uniformes usados que estavam armazenados no posto e as integrantes da Associação estão confeccionando bolsas ecológicas, aventais, lixeiras de automóveis e o que mais de ideias vierem surgindo nesse tempo. Os itens serão comercializados aqui no posto e todo lucro será revertido para a entidade. Também iremos distribuir as bolsas entre nossos funcionários”, comentou a Gerente Administrativa Rosimeri Santos Simon.

Dona Edite Pacheco Alves de Medeiros, é a fundadora da Associação Raio de Luz e explicou que são parcerias como esta que fazem a diferença: “Nós precisamos da ajuda dos empresários, tanto na colocação de nossas mulheres no mercado de trabalho, quanto em parcerias como esta do Posto Simon. Quando a Rosimeri nos procurou, ficamos emocionadas em saber que realizaríamos este projeto. O Posto fez a doação de uma máquina de costura e dos uniformes que estão sendo desmanchados para a confecção de inúmeros objetos. Como todo o dinheiro das vendas fica para a Associação, muitas mulheres e suas famílias da comunidade do bairro Araçá serão beneficiadas”.

Um grande coração

Professora e diretora de escola, Dona Edite, em 1990 observou a grande evasão escolar das crianças da comunidade do bairro Araçá e decidiu conhecer de perto sua realidade. Com tristeza ela conta que observou que a fome daquelas crianças e a falta de incentivo dos pais era a principal causa: “Estávamos em um ano difícil no estado, em que ficamos sem a merenda escolar fornecida pelo governo. Quando visitei a comunidade, tive uma conexão imediata e sabia que precisava ajudar aquelas pessoas. Consegui, com o auxílio de mercados e comerciantes, itens para preparar a merenda escolar e diminuir a fome das crianças no período escolar. Mas tinha certeza de que meu trabalho ali estava apenas começando, pois era preciso fazer ainda mais; ” comentou Dona Edite. Explicando sobre a difícil realidade do bairro: “Aquelas crianças não tinham nem certidão de nascimento. Precisava devolver a dignidade às famílias. Dizer que eram cidadãs e cidadãos, que tinham direitos. Mostrar aos pais a importância do estudo para o futuro de seus filhos”.

Fazendo a diferença

O sentido da associação Raio de Luz é o de propagação da luz. É justamente isso que Dona Edite fez em 1990, quando embaixo de uma árvore, iniciou seu trabalho com as mulheres da comunidade do bairro Araçá. “Fui para lá com um tapete da minha casa e um banco. Primeiramente levando uma palavra sobre Deus, depois mostrando a estas mulheres a importância de manter seus filhos na escola. As crianças frequentavam a escola quando queriam e tudo isso elas foram aprendendo de que o ensino era fundamental na vida dos seus filhos. Se não quisessem repetir o mesmo destino que tiveram, teriam que mudar esta situação começando pela educação”; comentou a voluntária explicando que precisava mudar a realidade da família por inteiro. “Ninguém quer dar emprego para alguém sem qualificação”. É muito fácil chegar e dizer: “eu não posso te dar emprego pois tu não tens qualificação, experiência”. “Mas eu me perguntava: como ter experiência se ninguém lhe deu uma oportunidade? ”.

Comecei a ensinar estas mulheres pregar um botão, fazer uma barra. Busquei parcerias. Uma destas parcerias foi com a UNISUL de Tubarão. Trouxemos profissionais da educação, saúde e direitos jurídicos. Para assim mostrar-lhes que poderiam seguir um caminho diferente. E trouxemos para a comunidade inúmeros cursos.

De mãos dadas

Ao longo destes 30 anos, com a ajuda da comunidade, a Associação iniciada ao pé de uma árvore deu belos frutos. Ganhou sede própria e realmente foi uma semente que germinou a mudança nas famílias do bairro. Muitos cursos foram e ainda são ministrados como: Costura, pintura, cabeleireira, manicure, cozinha, etc. Foram muitos cursos ao longo destes anos. Cursos profissionalizantes para aprender ser camareira, ajudante de cozinha e; tudo isso fez com que elas vissem que realmente poderiam fazer a diferença. E que poderiam ter uma vida melhor através do aprendizado e do trabalho. É gratificante para estas mulheres poderem ir ao mercado com o seu “dinheirinho”, fonte do seu trabalho, algo que elas conseguiram. Ao invés de receberem uma cesta básica”, comentou.

Dona Edite explica que dar nem sempre é o melhor caminho: “O ideal não é dar o peixe, mas ensinar pescar e ajudar na rede. Penso isso por dois motivos: um porque ela irá valorizar aquilo que está conseguindo e outro que irá sentir-se valorizada por conseguir o próprio sustento”.

Atualmente a Associação já auxilia a quarta geração destas famílias da comunidade e mesmo aos 70 anos, dona Edite não pensa em parar. “Esta associação não é minha, mas sim de muitas mãos que juntas fazem acontecer. É gratificante ver a alegria e felicidade destas mulheres por estarem levando o pãozinho para casa. De ver que aos poucos recuperaram sua dignidade. Que hoje todas as crianças estão na escola e suas mães no mercado de trabalho. Para alguns pode ser muito pouco, mas para a gente é muito importante. Hoje com a união das trabalhadoras da Associação e da comunidade, fazemos bingo, temos o nosso brechó e, todo Natal fazemos uma grande festa de celebração do Nascimento do Menino Jesus. Onde também distribuímos brinquedos para as crianças. Deus sempre colocou Anjos de Luz na nossa vida e só temos a agradecer todas as pessoas que contribuíram e contribuem com o nosso trabalho”.

Além dos cursos, a voluntária explica que a casa também é de acolhimento, aonde as pessoas que estão passando por fases de perdas familiares, separação, recuperação de Câncer e depressão, fazem terapia de grupo. “É uma emprestando o ouvido para a outra, incentivando, dando um abraço, pois às vezes o ser humano não está precisando de muita coisa, só necessita de um pouquinho de carinho e atenção”.

Dona Edite finaliza falando sobre seu sentimento ao ver o resultado do trabalho realizado ao longo dos anos na comunidade: “É de uma alegria, uma certeza de dever cumprido. Se eu tivesse que começar, eu começaria tudo de novo. Só que meu sonho não fica por aqui. Estou com 70 anos, aposentada, mas ainda acho que tenho bastante tempo. Se Deus quiser irei fazer muito ainda e tenho minha família comigo, dando este apoio. Nosso objetivo é dar qualidade de vida, é mostrar que a gente pode sim fazer a diferença. Precisamos respeitar para ser respeitado. Como é que eu posso exigir alguma coisa de alguém, se eu não sou a própria pessoa que dou esse exemplo? Você dá aquilo que tem, que brota do peito. Fraternidade, caridade, amor, perdão e misericórdia. Estes sentimentos você não compra, adquire. Vai fabricando, criando dentro de si. E é tão simples!! Hoje me sinto realizada e só tenho um sentimento: valeu a pena”.

Quem quiser conhecer o trabalho realizado pela Associação Raio de Luz ou ajudar a entidade, a mesma funciona segundas, terças e sextas-feiras, das 14h às 18h. Telefones para contato: 48 – 9 9945 8258 ou 48 – 9 8825 2502. Para saber mais, é só acessar o Facebook ou o Instagram.

Destaques
Arquivo
Tags de Notícias